ZILDO GALLO

 -  - ZILDO GALLO
Total Visualizações: 35857
Texto mais lido:
BEIJA-FLOR - Total: 422
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1093
10 Autores mais recentes...
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
VALDINEI DA SILVA CAMPOS
JOSÉ MARIA AMARANTO
MILTON JORGE DA SILVA
CELSO GABRIEL DE TOLEDO E SILVA
MARIA DE SOUZA CEZAR
EVERALDO JOSÉ CAVALHEIRO PAVÃO
JOSE JOÃO BOSCO PEREIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1601785
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 261210
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 135688
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 113207
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 94803
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 61593
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 35857
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 33177
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 32507
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 29838
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 275
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A conversão de São Francisco: uma loucura divina


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

São Francisco de Assis (1182-1226) é uma figura singular na história da humanidade. Ele era filho do comerciante italiano Pietro di Bernadone dei Moriconi e de Pica Bourlemont, de origem francesa. Os seus pais faziam parte da burguesia da cidade de Assis e eram tidos como ricos. O menino Francisco cresceu e se tornou um jovem muito popular entre os amigos pelas suas extravagâncias, pela paixão por aventuras, pelas roupas finas, pelo gosto pelas bebidas e por sua liberalidade com o dinheiro. Contudo, ele sempre se mostrava bondoso. Também era fascinado pelas histórias de cavalaria e desejava ganhar fama como herói. Assim, no ano de 1202, alistou-se como soldado na guerra que Assis travava contra Peruggia, quando foi capturado e permaneceu preso por cerca de um ano.

Quando libertado caiu doente, com episódios de febre que duraram quase todo o ano de 1204. Ali apareceram as afecções que o acompanhariam por toda a sua vida: problemas de visão e digestivos Em 1205, depois de recuperado, tentou novamente a carreira militar, engajando-se no exército papal que lutava contra Frederico II. Entretanto, desistiu da empreitada por conta de um sonho que o mandava de volta para casa. Assim o fez. Depois disso, em Assis, durante uma algazarra com seus amigos, teria sido tocado pela presença divina, e desde aquele momento, começou a perder o interesse por seus antigos hábitos e passou a mostrar preocupação pelos pobres e a manifestar desejo por uma vida religiosa.

Antes de adotar a via religiosa para a sua vida, Francisco viverá episódios ligados à fé e aos pobres e necessitados, mas o episódio da sua conversão definitiva é ímpar. Vale a pena relatá-lo. Certa feita ele entrou para orar na igreja de São Damião e ali ele teria ouvido a voz de Cristo, que lhe chamou a atenção para o estado de ruína da igreja e pediu-lhe para que ele a restaurasse. Então, ele voltou para sua casa, pegou diversos tecidos caros da loja do pai e os vendeu a baixos preços no mercado. Em seguida, voltou para a igreja e doou todo o dinheiro ao padre, para que ele reformasse o prédio.

Quando soube disso o pai ficou enfurecido e mandou que o buscassem. Assustado, Francisco escondeu-se em um celeiro, onde um amigo levava comida todos os dias. Passado algum tempo, ele decidiu revelar-se e, diante do povo de Assis, numa confissão pública, autoacusou-se de preguiçoso e desocupado. As pessoas acharam que ele tinha enlouquecido e divertiam-se com isso. O pai ouviu o tumulto e o levou para casa, acorrentando-o no porão.

Alguns dias depois, por compaixão, sua mãe livrou-o das correntes, e Francisco foi buscar refúgio junto ao bispo. O pai partiu atrás dele e o acusou de gastar sua fortuna, reclamando uma compensação pelo que ele havia tirado sem licença de sua loja. Então, para a surpresa geral, Francisco despiu todas as suas belas roupas e as colocou aos pés do pai, renunciando, com esse ato, a sua herança. Depois pediu a bênção do bispo e partiu, completamente nu, para iniciar uma vida de pobreza ao lado do povo. Nunca mais retornou a sua casa. O bispo viu nesse gesto um sinal de Deus e se tornou seu protetor pelo resto da vida. Assim começou a trajetória de São Francisco de Assis.

Como há muito tempo estou ligado às questões ambientais e desde muito cedo adotei uma militância política de esquerda, por conta de uma preocupação permanente com a concentração das riquezas no mundo, São Francisco de Assis tornou-se uma referência para mim, mesmo na época (já distante) em que me considerava essencialmente materialista. Até estudei a sua biografia. Coisas do passado... Então, certa feita, em março de 2002, eu resolvi homenageá-lo com um poema, relembrando aquele momento insólito da sua conversão. Eis o poema:

À NUDEZ DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

Quando Francisco,
Em ato de tresloucada paixão,
Livrou-se das amarras
Que ao passado lhe prendiam,
Livrou-se, também,
De histórias de duvidosa honra,
Histórias largadas ao chão,
Junto com suas vestes,
Misturadas ao pó da estrada.

E, na sua absoluta pobreza,
Tornou-se o mais rico dos homens,
Possuidor de grande tesouro
Que com todos repartia:
O amor pelas criaturas
E a compaixão pelos que sofrem.

E, desde então,
A delicada bondade
Tornou-se imbatível força
E atirar sementes aos pássaros
Um ato que nos religa
Ao espírito da criação.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de ZILDO GALLO:
(RE)(IN)VOLUÇÃO: grandes almas Autor(a):
A árvore de beija-flores, o sabiá distraído, o gavião certeiro e o gambá do meu condomínio Autor(a):
A conversão de São Francisco: uma loucura divina Autor(a):
A empresa do futuro e a produção de valores sustentáveis: ou vai ou racha! Autor(a):
A FOME E O PAPEL Autor(a):
A guerra pela água: Grande São Paulo versus Região de Campinas (2015) Autor(a):
A HORA DA AVE MARIA Autor(a):
A HUMANIDADE ASSOMBRADA Autor(a):
A INCRÍVEL SAGA DO PEIXE BOTINA Autor(a):
A LUA E O MAR Autor(a):
A mamadeira de manga e o coquinho da macaúba Autor(a):
A MENINA QUE PASSAVA Autor(a):
A moralidade do mercado ou para quem o crime compensa Autor(a):
A origem mítica do nome da cidade de Atenas (Grécia): um tributo à agricultura Autor(a):
A OUTRA GUERRA Autor(a):
A POESIA (o poeta e sua sina) Autor(a):
A POESIA (o poeta e sua sina) Autor(a):
A PROCURA DO POETA Autor(a):
A riqueza e a diversidade: uma discussão sobre o valor das floresta na economia de mercado Autor(a):
A sonda New Horizons, o rebaixamento de Plutão, o rapto de Perséfone e o Tarô Mitológico Autor(a):
AFETOS ABORTADOS Autor(a):
AFIRMAÇÃO (Smithiana mão invisível) Autor(a):
ÁGUA PARA TODOS Autor(a):
ÁGUA: UM POEMA À CONSCIÊNCIA Autor(a):
ÁGUAS DE OUTUBRO (via crucis) Autor(a):
ALÉM DAS SOMBRAS DA CAVERNA Autor(a):
ANÉIS DE SATURNO Autor(a):
ANTAGONISMOS Autor(a):
AO MINEIRINHO POETA Autor(a):
ÁRVORE SECA Autor(a):