DIRCEU DETROZ

 -  - DIRCEU DETROZ
Total Visualizações: 135647
Texto mais lido:
A LIZZ DO DIR - Total: 572
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1680
10 Autores mais recentes...
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
VALDINEI DA SILVA CAMPOS
JOSÉ MARIA AMARANTO
MILTON JORGE DA SILVA
CELSO GABRIEL DE TOLEDO E SILVA
MARIA DE SOUZA CEZAR
EVERALDO JOSÉ CAVALHEIRO PAVÃO
JOSE JOÃO BOSCO PEREIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1600949
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 261089
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 135647
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 113193
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 94782
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 61511
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 35838
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 33168
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 32496
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 29813
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 188
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A OBRA-PRIMA DO PERDÃO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Tenho certeza absoluta. O nosso mundo seria muito melhor se para ser perdoado ou conquistar o autoperdão, cada ser humano ao invés de balbuciar ajoelhado num confessionário, escrevesse ou criasse uma obra-prima.

Frederick Forsyth é um escritor inglês. Sua especialidade foi criar ficção sobre a Guerra Fria. A era dourada dos espiões. Quando a Guerra Fria teoricamente terminou a fonte de Forsyth foi secando. Seus livros que vieram depois, já não continham o mesmo fascínio eletrizante que faz os leitores “devorarem as páginas”.

Estranhamente sua obra-prima “O Dia do Chacal” foge da Guerra Fria. Narra a tentativa de assassinar Charles de Gaulle, que governou a França entre 1959 a 1969. Os detalhes da conspiração parecem tão verídicos, que Frederick Forsyth foi convidado a depor pelo serviço secreto francês. Nada a ver com o filme “ O Chacal” com Bruce Willis.

Podemos sentir a mesma veracidade em “A Rainha do Castelo do Ar”, o terceiro livro da série “Millennium – Os Homens que não Amavam as Mulheres” do jornalista sueco Stieg Larsson. Além de jornalista, Larsson foi um dos mais influentes ativistas políticos da Suécia. Sofreu várias ameaças de morte da direita sueca. Morreu aos 54 anos de ataque cardíaco logo após entregar a trilogia aos editores.

Apesar de existir uma produção sueca, o filme “Os Homens que não Amavam as Mulheres”, fez mais sucesso com os protagonistas interpretados por Rooney Mara (Lisbeth Salander) e Daniel Craig, o atual 007 (Mikael Blomkvist).

A obra-prima de Larsson é justamente a rainha do castelo. Como Lisbeth Salander é filha de um espião russo que desertou para a Suécia, o livro narra uma conspiração entre todos os poderes podres suecos (governo, justiça e serviço secreto), para que Salander seja considerada doente mental e internada num hospital psiquiátrico.

Ao mesmo tempo, um outro tipo de conspiração encabeçada pelo jornalista Blomkvist se forma na tentativa de salvá-la. Enquanto a caça entre gatos e ratos se desenrola, Lisbeth passa a maior parte do tempo internada num hospital após levar um tiro na cabeça e ser enterrada viva. As duas coisas feitas por um meio irmão que ela desconhecia existir. O livro termina com Lisbeth livre buscando sua vingança.

Sei que aquele primeiro parágrafo desta crônica ficou parecendo estranho, e no contexto sem nenhum sentido até agora. Então vou explicar o motivo dele estar ali.

Sobre a série Millennium na Wikipédia lemos que o tema violência contra as mulheres na obra de Larsson deve-se ao fato de aos 15 anos ter testemunhado o estupro coletivo de uma garota. Larsson nunca se perdoou por não a ter ajudado. O nome dessa garota era Lisbeth. Se Larsson nunca se perdoou, foi perdoado por sua obra-prima.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de DIRCEU DETROZ:
A "IA" NÃO SERÁ UM MENINO BONITO Autor(a):
A ALMA A SINGULARIDADE E O FUTURO Autor(a):
A CHEGADA Autor(a):
A CIÊNCIA ACIMA DE TODOS Autor(a):
A CULPA NÃO É DOS OSSOS - Crônica escrita em 2014 Autor(a):
A EQUAÇÃO DA ALMA Autor(a):
À ESPREITA Autor(a):
A GENÉTICA DIVINA Autor(a):
A INDUSTRIA GENÉTICA NÃO É FICÇÃO Autor(a):
A INFÂNCIA DOS LIVROS Autor(a):
A LIZZ DO DIR Autor(a):
A MAÇA DO CONHECIMENTO Autor(a):
A MENINA NA JANELA Autor(a):
A NOITE DE ONTEM Autor(a):
A NOSSA IDADE DAS TREVAS Autor(a):
A NOSSA LÍNGUA PORTUGUESA Autor(a):
A OBRA-PRIMA DO PERDÃO Autor(a):
A REALIDADE E A FICÇÃO Autor(a):
A SAGA DO SOM ESTÉREO Autor(a):
A SENHA Autor(a):
A SENHA Autor(a):
A UTOPIA CÓSMICA Autor(a):
A VAGINA DO PICASSO (Um conto nada intelectual) Autor(a):
A VARIÁVEL ESQUECIDA Autor(a):
A VARIÁVEL HUMANA Autor(a):
A VEZ DAS CIGARRAS Autor(a):
A VEZ DAS CIGARRAS Autor(a):
A VIDA PREGA PEÇAS Autor(a):
A VISITA Autor(a):
A VISITA DO APOPHIS Autor(a):