Total Visualizações: 137513
Texto mais lido:
A LIZZ DO DIR - Total: 576

Amigos Recentes

1121 THALYA SANTOS622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO385 ANDRADE JORGE477 ADEMYR BORTOT587 RODRIGO GIOVANI BORCHARDT284 MARLI  FIORENTIN3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL444 DRILLY MANFRE
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 190 Todos os textos de: DIRCEU DETROZ
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O FRANKENSTEIN ATÔMICO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Acredito que enquanto desenvolviam os princípios da fusão e da fissão nuclear, os cientistas não tinham a noção do que aquilo poderia se transformar no futuro. Nem os criadores da bomba atômica tinham tal noção. Mesmo quando vislumbravam os cogumelos radioativos enfeitando a paisagem dos testes.

Talvez, a ficha começou a cair quando o primeiro teste “oficial” escolheu Hiroshima no Japão de cobaia em 1945. Neste caso havia uma desculpa. Era preciso vencer a guerra. Então os fins justificavam os meios. Mesmo assim, o caminho não permitia mais volta. O Frankenstein vivia. E mais assustador. Ele mantinha a paz.

Só que o coração do Frankenstein não pulsava apenas nos milhares de ogivas nucleares prontas para aniquilar o inimigo e também o planeta. Rapidamente usinas nucleares se espalharam pelo mundo. Diante dos benefícios que tais usinas produziam, se tinha apenas noções teóricas no caso de um acidente. Então aconteceu Chernobyl em 1986.

Todos os anos em 6 de agosto as vítimas de Hiroshima são lembradas. Trinta anos depois, uma série de televisão reacende discussões e rusgas sobre Chernobyl. Os russos acusam a série de estar mentindo sobre os fatos. Diante das mentiras querem criar sua própria série e contar a sua verdade. O que de fato aconteceu em Chernobyl jamais poderá ser contado por uma ficção. Tampouco por uma ideologia.

Não assisti a série, mas estou lendo o livro no qual a ficção teria se baseado. Trata-se de “Vozes de Tchernóbil” da vencedora do Prêmio Nobel de Literatura em 2015 Svetlana Aleksiévitch. O livro foi escrito duas décadas após o acidente na Usina. Svetlana entrevista ela mesma, e vários personagens reais que viveram o momento e as consequências dos minutos, horas, dias e anos seguintes àquele horror nuclear.

O primeiro relato do livro é da esposa do bombeiro que estava grávida. Pelo que li nas reportagens da mídia, os dois aparecem na série também. Ficaria viúva duas semanas depois. Segundo o relato, ela sobreviveu porque a radiação passou toda para o feto. A criança nasceu viva, morrendo horas depois. Era simplesmente uma “bola radiativa”.

Como se vivia em plena Guerra Fria eles foram treinados para um ataque nuclear lançado pelo inimigo, no caso os americanos. Quanto as usinas nucleares, o governo afirmava ser tão seguras que poderiam ser construídas em qualquer praça de qualquer cidade. Isto até a madrugada de 25 para 26 de abril de 1986. E espantoso. Aconteceu durante um teste que simulava falta de energia na usina.

Chernobyl é considerado o maior acidente nuclear da história humana tanto em custo como e vítimas. Entretanto, não é o único classificado com nível máximo (7). Tem a companhia de Fukushima no Japão em 2011 durante o tsunami. Coisas da morbidez humana. Com o sucesso da série, o lugar tem sido escolhido para fotos no Instagram.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 19
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 O FRANKENSTEIN ATÔMICO 19 17/06/2019
0 CARCAÇA 26 15/06/2019
1 CIRANDAS 24 14/06/2019
0 A CIÊNCIA ACIMA DE TODOS 47 10/06/2019
1 BRINCOS DE ARGOLAS (Dirceu Detroz) 38 08/06/2019
0 AS SUPREMACIAS INVISÍVEIS - Crônica escrita em 2017 49 05/06/2019
0 O DIA D 41 03/06/2019
0 SOBRAL E A CELEBRIDADE DE EINSTEIN 84 27/05/2019
0 PRAGA LUXUOSA 100 22/05/2019
0 O HEROÍSMO E AS BARBÁRIES 60 20/05/2019
0 UM 2050 PARADOXAL 105 13/05/2019
0 EN PASSANT 71 11/05/2019
0 SOMOS MAIS INSTINTO DO QUE RAZÃO - Crônica escrita em 2012 59 10/05/2019
1 DANÇA DE CIOS 104 06/05/2019
0 O CONHECIMENTO VENCERÁ 76 06/05/2019
0 ESTE NOSSO OUTRO MUNDO - Crônica escrita em 2017 102 03/05/2019
0 O DIA DEPOIS DE ONTEM - Crônica escrita em 2016 90 01/05/2019
0 CÁRCERES MENTAIS 96 29/04/2019
0 MATA-BORRÃO 103 27/04/2019
0 UMA SOCIEDADE CONTAMINADA - Crônica escrita em 2016 99 26/04/2019
0 OS SUBPRODUTOS DA INTELIGÊNCIA - Crônica escrita em 2017 103 24/04/2019
0 A SAGA DO SOM ESTÉREO 123 22/04/2019
0 CIRCUNSTÂNCIAS 109 19/04/2019
0 O APOCALIPSE DOS OBSOLETOS - Crônica escrita em 2017 108 18/04/2019
1 VIRO A PÁGINA 107 16/04/2019
0 PROCURANDO CULPADOS 108 15/04/2019
0 NOSSA ESSÊNCIA DOUTRINADA - Crônica escrita em 2014 115 13/04/2019
0 ENXURRADAS 110 12/04/2019
0 TERRA, UM LUGAR PERIGOSO - Crônica escrita em 2018 127 11/04/2019
1 O CÉU DAS ESTAÇÕES - Crônica escrita em 2017 118 10/04/2019