Total Visualizações: 760405
Texto mais lido:
MATINÊ - Total: 1679

Amigos Recentes

1121 THALYA SANTOS622 SANTO VANDINHO385 ANDRADE JORGE477 ADEMYR BORTOT587 RODRIGO GIOVANI BORCHARDT284 MARLI  FIORENTIN3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL444 DRILLY MANFRE
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 190 Todos os textos de: DIRCEU DETROZ
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0

Perigo! Perigo!


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Perigo! Perigo! A exclamação que ficou famosa nos anos sessenta é do robô da série “Perdidos no Espaço”. Houve uma nova versão em 2018 disponível na Netflix. Um atrapalhado dr. Smith bagunça a vida da família Robinson. Na televisão, o tal robô foi uma das primeiras inteligências artificiais criadas pela ficção.

Nos dias atuais e longe da ficção, tornou-se difícil apontar uma atividade humana na qual a inteligência artificial não esteja presente. Quanto maior a precisão requerida, mais ela é chamada a ajudar. E parece ter todos os dons possíveis. Já seleciona candidatos a empregos, compõe músicas e escreve romances. Agora o “GPT-2” roteirizou a peça teatral “Quando um robô escreve uma peça”.

Num de seus livros, Yuval Noah Harari lançou uma profecia. Até o final deste século metade dos empregos conhecidos atualmente serão feitos pela inteligência artificial. Em segundo plano, os humanos terão que se reinventar para poder competir. Parodiando o robô, os humanos poderão estar em perigo.

“O lado sinistro da inteligência artificial”, é o título de uma reportagem de maio de 2020 da revista Superinteressante com a pergunta: Ela pode destruir a humanidade? O ano era 2014. A declaração foi dada por Stephen Hawkins, um dos maiores gênios que este planeta tão ignorante teve o privilégio de conhecer.

Hawkins dizia que apesar de úteis a inteligência artificial não passava de máquinas primitivas. Seu temor era de quanto mais a inteligência artificial evoluísse, mas a raça humana estaria perto do fim.

Para mentes conscientes da fragilidade humana, seria assustador saber com exatidão a evolução dessas “máquinas primitivas” de 2014 até os dias atuais. E com elas serão daqui uma década. Já em 1965 Gordon Moore cofundador da Intel, observou que os computadores dobravam a capacidade a cada dois anos. O mais rápido do mundo em 2020, realizava 148 quatrilhões de operações matemáticas por segundo.

O homem que sonha levar os humanos a Marte, é outro que revela seus temores. Numa palestra Elon Musk disse ser a inteligência artificial nossa maior ameaça existencial. Para Musk há a necessidade de se criar mecanismos internacionais de controle. E diz: “Só para garantir que não faremos algo idiota”.

Apesar de já existir inteligência artificial no estilo da “Skynet”, será muito difícil máquinas guerreado contra os humanos como na ficção de “O Exterminador do Futuro” se tornar realidade. O perigo para a raça humana tal como a conhecemos não é esse. Teorias dizem que no futuro humanos e máquinas se fundirão. O planeta assistirá o nascimento de uma nova raça superior. Então saberemos se foi feito algo idiota.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 3
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 Perigo! Perigo! 3 03/03/2021
0 VIDÊNCIA 58 28/02/2021
0 O passado do planeta escrito nas árvores 52 24/02/2021
0 O elefante e os cegos 175 16/02/2021
0 As discórdias do céu 136 10/02/2021
0 O fim de Arecibo 166 03/02/2021
0 VACINADO 97 01/02/2021
0 Só que sabe do presente é o futuro 194 26/01/2021
0 A vacina das ideologias 216 18/01/2021
0 A pandemia do egoísmo 228 11/01/2021
0 Oceanos no centro da Terra 235 04/01/2021
0 FRENESI 196 30/12/2020
0 SUSSURROS SEMEADOS 385 18/12/2020
0 Da placenta ao Antropoceno 222 14/12/2020
0 A garota dos coturnos voltou 274 07/12/2020
0 Os ossos esquecidos 219 30/11/2020
0 MUROS 162 29/11/2020
0 O monstro, a ciência e as reflexões 211 23/11/2020
0 UM PRESENTE 223 21/11/2020
1 Nossa inteligência é ficção 239 17/11/2020
0 Os biosferanos 321 09/11/2020
1 OUTRAS SENSAÇÕES 241 08/11/2020
0 Destino Terra 372 02/11/2020
1 SENSAÇÕES 319 29/10/2020
0 Um desengonçado Daniel 339 26/10/2020
2 DONO DE MIM 301 24/10/2020
0 Os donos da nossa privacidade 363 19/10/2020
0 Ver é diferente de chegar 397 12/10/2020
0 Da felicidade ao necroceno 407 05/10/2020
1 DEVORADOS 419 02/10/2020