EACOELHO

 -  - EACOELHO
Total Visualizações: 7895
Texto mais lido:
A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) - Total: 543
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 143
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2037158
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 289461
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 177724
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 115753
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 104143
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 84430
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 53944
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 41774
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 37118
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 37072
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 158
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

AMARGO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Por sobre as dores da solidão,
Existem as lembranças da despedida,
E se o lenço já está relegado a um canto,
A solidão também será corroída pelo tempo,
Assim como as dores serão adormecidas,
Quando novo tempo amanhecer em sol.

Já criei calos no coração agora em pedra,
Na minha garganta se fez um bueiro imenso,
No peito uma lagoa onde deságua magoas,
Das tantas promessas que acreditei e vivi,
Dos amores que me atrevi e apartei em dor,
E das lembranças amargas que curei só.

Da mulher formosa que me olha na calçada,
Vejo nas entrelinhas do riso todo infinito querer,
Que nem mesmo um coração de diamantes,
Postado no peito de um poeta apaixonado,
No desvario da mais louca e desmedida paixão,
Conseguirá fartar tantas e cumulativas vontades.

Depois de tantos lenços levantados ao vento,
Das tantas madrugadas ardidas em desamor,
Entre deslumbres, conquistas e promessas,
Já não choro de saudade, nem sonho ilusão,
Vou vivendo paixões de camas em camas,
Pois meu copo já não comporta mágoas.

EACOELHO

 
 

Esse texto já foi lido hoje por esse computador e usuário. A contagem da poesia não foi adicionada!
 
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de EACOELHO:
A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) Autor(a):
A MULHER DA MINHA ALDEIA Autor(a):
A MULHER DA MINHA ALDEIA Autor(a):
A MULHER QUE EU AMO Autor(a):
A PONTE Autor(a):
A REDE DO MEDO Autor(a):
ALMA DE MULHER Autor(a):
AMAR DE VERDADE Autor(a):
AMARGO Autor(a):
AMOR PROIBIDO Autor(a):
ANÚNCIO Autor(a):
APENAS Autor(a):
ATENTO AO TEMPO Autor(a):
AVISO AOS HIPÓCRITAS Autor(a):
BENDITOS POETAS Autor(a):
BOBO (?) FELIZ Autor(a):
CAIPIRA Autor(a):
CASULO Autor(a):
CATACLISMA Autor(a):
CÉU DA TUA BOCA Autor(a):
CONCLUSÕES Autor(a):
CONTROVÉRSIA Autor(a):
CONVERSA DE HOMEM Autor(a):
COPA DO MUNDO Autor(a):
COPA DO MUNDO - INDUSTRIA DE EMOÇÕES Autor(a):
CORAÇÃO DE POETA Autor(a):
DESIGUAIS Autor(a):
DIA SEGUINTE Autor(a):
ESTRELA CADENTE Autor(a):
IRREVERENCIA Autor(a):


Banner aniversariantes

Aniversário Hoje

Aniversariante de Hoje RUI WERNECK DE CAPISTRANO