EACOELHO

 -  - EACOELHO
Total Visualizações: 7992
Texto mais lido:
A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) - Total: 546
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 143
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2066392
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 291448
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 181618
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 115954
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 104736
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 86332
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 56146
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 42110
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 37366
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 37349
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 155
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

AMOR PROIBIDO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

As meias tardes nos protegiam,
E nós escancarados alheios a tudo,
Só importava a ânsia do desejo,
Da volúpia que ardia e exigia mais.

O quarto pobre, ventilador no teto,
Soprava para longe qualquer pecado,
Não levava, contudo, o cheiro doce,
Do suor que exalava da nossa luxúria.

Nossos corpos ungidos pelo óleo da carne,
E nossas carnes ardendo, sem queimar,
Queimava sim o calor de cada toque.

Todos os movimentos eram acordes,
Que nos elevavam às nuvens como se música fosse,
De tambores, guitarras, violinos, flauta doce,
Até o cansaço fazer silêncio, em êxtase,
Só então presente nossa respiração.

Lençol no chão, roupas amassadas,
Cumplicidade em cada olhar,
Pecado em cada beijo, promessas no aceno,
Esperança de mais uma tarde,
E mais tambores para nosso desvario.


EACOELHO

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de EACOELHO:
A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) Autor(a):
A MULHER DA MINHA ALDEIA Autor(a):
A MULHER DA MINHA ALDEIA Autor(a):
A MULHER QUE EU AMO Autor(a):
A PONTE Autor(a):
A REDE DO MEDO Autor(a):
ALMA DE MULHER Autor(a):
AMAR DE VERDADE Autor(a):
AMARGO Autor(a):
AMOR PROIBIDO Autor(a):
ANÚNCIO Autor(a):
APENAS Autor(a):
ATENTO AO TEMPO Autor(a):
AVISO AOS HIPÓCRITAS Autor(a):
BENDITOS POETAS Autor(a):
BOBO (?) FELIZ Autor(a):
CAIPIRA Autor(a):
CASULO Autor(a):
CATACLISMA Autor(a):
CÉU DA TUA BOCA Autor(a):
CONCLUSÕES Autor(a):
CONTROVÉRSIA Autor(a):
CONVERSA DE HOMEM Autor(a):
COPA DO MUNDO Autor(a):
COPA DO MUNDO - INDUSTRIA DE EMOÇÕES Autor(a):
CORAÇÃO DE POETA Autor(a):
DESIGUAIS Autor(a):
DIA SEGUINTE Autor(a):
ESTRELA CADENTE Autor(a):
IRREVERENCIA Autor(a):