PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 31579
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 334
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 2992
10 Autores mais recentes...
SUELEN LUIZ DE OLIVEIRA
EDENICE SANTOS DA SILVA
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3554758
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 443986
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 420212
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 404729
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 220589
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 140328
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 127332
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 64940
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 55882
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 55051
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 236
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O ÁLBUM


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Acordo
e prontamente lembro
os mesmos mortos.
Refaço o álbum pela manhã
e todos estão presentes;
os mesmos rostos
distorcem a minha mente.
Não sei o porquê dessa coleção,
da minha guarda impecável.
Vêm de longe
meu pai, minha mãe em fotos sumidas
(Um flash dentro de mim separa o instante,
pergunta por esses pais
e porque permanecem unidos)
Mas há outras pessoas nessa pasta de imagens,
repetem uma cena remota,
um aceno, enquanto eu confio
que tudo se ajusta.
Os amigos, o amigo louco
a namorada santa
e quando me perco, lembro da outra,
jurava ser santa,
e abria os peitos formosos
para o encaixe fotográfico.
Dentro de mim tudo é permanência.
Durmo.
Agora são os mortos
que caem de forma contínua,
descem como chuva,
surgem perto de morros e cachoeiras
não percebem a própria eternidade.
Acordo
refaço o longo álbum
todos os mortos estão ali,
do outro lado,
eles me olham,
piscam,
pisam na faixa de pedestres,
sempre aos pedaços
como pedestres.
Os olhares procuram um sentido,
estão nas beiradas
nos cantos,
parecem aliviados.
Nascidos para brilhar.
Lindos!

DO LIVRO: ADVERSOS E OUTROS MOMENTOS

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CEGONHA Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORÇA DO CIÚME Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A INVENÇÃO DO FUTEBOL Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PISADA DO GIGANTE Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMO A VIDA COMO WALT WHITMAN Autor(a):
AMOR ATO VINTE Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZENOVE Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO DEZOITO Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):