PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 7912
Texto mais lido:
DELÍRIO DE PEIXE - Total: 108
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1122
10 Autores mais recentes...
MILTON JORGE DA SILVA
CELSO GABRIEL DE TOLEDO E SILVA
MARIA DE SOUZA CEZAR
EVERALDO JOSÉ CAVALHEIRO PAVÃO
JOSE JOÃO BOSCO PEREIRA
RUAN VIEIRA
FERNANDO DANIEL FRANCO DE CAMARGO
ELIAS OLIVEIRA DE JESUS
MARISA BARBOSA CAJADO
FATIMA HELUANY ANTUNES NOGUEIRA NOGUEIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1311017
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 237983
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110791
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 101507
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 85694
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 47480
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 30659
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 29200
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 27765
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 24221
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 77
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A PRIMAVERA DAS FADAS


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Enfim retornou a primavera no jardim das fadas
Antes a primavera existia,
mas há muitos anos
que somente se via fotos de alfazemas
e abelhas que não conheciam pétalas.
Sim, regressou a primavera
no jardim das fadas.
Tanto tempo atrás germinou a última
que os caules de velhas begônias
já eram parafusos
e o jardim parecia outra mecânica,
a virar uma fábrica de pregos pintados.

As fadas estranharam o sumiço,
construíram uma altíssima torre
porque imaginaram,
a primavera estaria sobre as nuvens
e quando não a viram ali
questionaram as formigas,
por acreditarem,
a estação das flores
seria um formigamento profundo.

Chegou novamente a primavera no jardim das fadas.
Algumas crianças perceberam
e desenharam melancias
ao lado de aviões azuis,
um sol laranja sorriu
e brilhou na cartolina intacta
porque a cartolina era a antemanhã.

Enfim ressurgiu a primavera do jardim das fadas
e as fadas mais idosas
que lamentaram verões gastos
no suco da uva artificial,
convidarão para a festa
todos os namorados,
porque afinal o amor
é a ideia relacionada,
o adubo da flor dos cativos.

É primavera do jardim das fadas
e não fossem as farsantes
que quiseram vender outonos
e seus plásticos,
tudo estaria bem.

Mas não nos incomodemos,
agora somos anjos
e não bastardos de asas,
viveremos a primavera
e teremos a surpresa:
as flores cobrirão a tristeza
com o bom senso do perdão.
Estaremos livres,
longe do mau cheiro dos vícios,
além da senilidade da culpa
e também floresceremos.


Do livro: "CRIANÇA, SUBSTANTIVO SOBRECOMUM"
phcfontenelle@gmail.com

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A LISTA Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
ANDANDO PELO CALÇADÃO Autor(a):
ANÚNCIOS BRANCOS Autor(a):
AQUI SE MORRE DE CÂNCER Autor(a):
AS CRIANÇAS DO GENERAL MÉDICI Autor(a):
AS MARCAS Autor(a):