THALYA SANTOS

 -  - THALYA SANTOS
Total Visualizações: 80023
Texto mais lido:
AMANHECER NA QUERÊNCIA - Total: 576
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1153
10 Autores mais recentes...
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
PERGENTINO JUNIOR
MARIA DO SOCORRO DOMINGOS
PAOLA CAMILA DOS SANTOS ESQUIVEL
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1198826
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 225772
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110000
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 80023
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 78708
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43114
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28249
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27702
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25593
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23117
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 231
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A HISTÓRIA DA VELHA


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Nasceu e não chorou
Mas gritou...

Nunca foi amamentada
Só tomava laranjada.

Nunca aprendeu a ler
Porque só maldade sabia fazer.

Mal ficara mocinha
E já rodava a bolsinha.

Deu luz a dez inocentes
Todos de pais diferentes.

Brigava com todo mundo
Largava veneno a vontade
Nunca teve...
Uma só amizade.

Nunca chorou de tristeza
Nunca soube sorrir
Mas com perfeição...
Ela sabia mentir.

Muito trabalhadeira
E caprichosa de verdade
Esta era...
Sua única qualidade.

Um dia ficou doente
Fez uma cirurgia
Não acharam o coração
Era uma pedra que batia.

Agora esta velhinha
Tem o rosto todo enrugado
E o pescoço...
Há o pescoço, parece um babado.

No dia da sua morte
Vai ser grande a festança
Porque ela é detestada
Por toda a vizinhança.

Não vão pensar que é mentira
A história que contei
É toda verdadeira
Nem um pouco...
Nem um pouco exagerei.





em 02/06/2010

 
 

Esse texto já foi lido hoje por esse computador e usuário. A contagem da poesia não foi adicionada!
 
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de THALYA SANTOS:
A ALMA Autor(a):
A CADEIRA DA VOVÓ Autor(a):
A CHUVA NÃO PARA Autor(a):
A CIDADE DORME Autor(a):
A CIDADE MAIS ANTIGA DO RIO GRANDE DO SUL ( CURIOSIDADES ) Autor(a):
A DANÇA DA CANETA Autor(a):
A DESGRAÇADA DA ESTELA Autor(a):
A DIFERENÇA DE LADRÃO DE GALINHA E DE ROUBAR O PAÍS Autor(a):
A DOR QUE SUFOCO EM MEU PEITO Autor(a):
A ESCADA Autor(a):
A ESCOLA DA VIDA Autor(a):
A FORÇA DA AMIZADE Autor(a):
A HERANÇA Autor(a):
A HISTÓRIA DA VELHA Autor(a):
A HISTÓRIA DO PIÁ Autor(a):
A IMPORTÂNCIA DO QUASE Autor(a):
A LUA FOI DORMIR Autor(a):
A MADRUGADA Autor(a):
A MAGIA DA NOITE Autor(a):
A MENINA E HISTÓRIA Autor(a):
A MINHA AMIGA AMARILLIS Autor(a):
A MORTE Autor(a):
A MORTE NÃO INTERROMPE A VIDA Autor(a):
A PALHAÇA Autor(a):
A PERERECA GELADA Autor(a):
A POESIA DO NADA Autor(a):
A POESIA ME ABRAÇA Autor(a):
A POESIA ME ABRAÇA Autor(a):
A PORTA TRANCADA Autor(a):
A RUA Autor(a):