ALEXANDRE BRUSSOLO

 -  - ALEXANDRE BRUSSOLO
Total Visualizações: 227124
Texto mais lido:
Música (T2941) - Total: 2590
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 237
10 Autores mais recentes...
HILTON MARCOS DE OLIVEIRA
WAGNER PAULON
GISELE NEGRO DE LIMA
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1211586
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 227124
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110055
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 80718
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 80483
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43455
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28450
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27853
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25720
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23202
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 235
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A Derrota (T175)


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

__ Mestre, está ferido!
__ Não é nada, eu estou bem, apenas me ajude a erguer a lança.
__ Mas senhor...
__ Não ouse me contrariar, você está comigo para me servir e pronto.
Sir Cristopher era teimoso, a última coisa que admitia era estar envelhecendo e que estas competições para ele já não davam mais, o tempo era de muitos jovens aprendendo e ingressando.
Lembrar que seu nome causava medo aos mais novos, ele era o terror de todos os cavaleiros mais antigos, ídolo incontestável dos mais novos, sempre em sua armadura dourada, cor do ouro, cor da fortuna e de sua sorte. Sempre acompanhado por seu fiel escudeiro, Thomas que nunca o deixara na mão, cuidava de sua armadura como um guarda cuida do tesouro real.
Thomas já havia pedido para que seu mestre, era assim que o chamava carinhosamente, deixasse o campo de competição, pois já havia conquistado a glória sem ter conhecido a derrota. Agora estava lá enfrentando um cavaleiro bem mais jovem, mas que tinha a mesma determinação da juventude de seu mestre.
Mas Sir Cristopher era muito orgulhoso para admitir a que seria a única derrota de sua vida. Como dizia Thomas, o orgulho é a cegueira da humanidade, mas seu mestre sempre rebatia que o homem sem orgulho é um homem sem coragem, então Thomas preferia calar-se.
Agora estava lá com a ponta de uma lança encravada em seu ombro, pedira a Thomas que a retirasse para que pudesse voltar para a segunda rodada, ele tentou argumentar para que ele parasse mas ele era muito teimoso, o pior é a teimosia misturada com o seu orgulho, aí não tem argumento que dê jeito.
Fez de pronto o que o Mestre lhe pedira, primeiro retirou a ponta da lança e depois ajudou-o com sua lança.
__ Mestre, o senhor mal aguenta segurá-la, pelo amor do Deus que você tanto teme é hora de reconhecer a derrota, eu te imploro, o que farei se algo te acontecer.
__ Eu sou Sir Cristopher e nada vai me acontecer, nunca perdi uma guerra, hoje perdi uma batalha mas a guerra ainda não. E pare de ficar me agourando... este... ombro... vou parar de falar... tenho que guardar energia... humm...
A trombeta soa é o chamado.
__ Vamos me ajude a levantar a lança.
Ele vira o cavalo a muito custo consegue comandá-lo, agora espera o segundo toque, escuta o som muito baixo, com o calcanhar faz com que seu cavalo comece a corrida até seu oponente, são segundos que se transformam em longos minutos. De repente um silêncio cortante na arena, o grande campeão de todos os tempos estava no chão sem movimento, só os olhos vidrados pela única derrota que conhecera.


Alexandre Brussolo (10/02/2009)


 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de ALEXANDRE BRUSSOLO:
A arte de amar (T2387) Autor(a):
A cada dia (T2178) Autor(a):
A cada dia (T2631) Autor(a):
A cada manhã (T1803) Autor(a):
A cada noite (T2004) Autor(a):
A casa (T2944) Autor(a):
A Derrota (T175) Autor(a):
A dor da perda (T690) Autor(a):
A dor de um poeta (T799) Autor(a):
A Era da Incerteza (R30) Autor(a):
A Estrelinha (T443) Autor(a):
A força de Deus (T1585) Autor(a):
A Gafe (T200) Autor(a):
A história se repete (T552) Autor(a):
A Imagem de Deus (T1074) Autor(a):
A Janela (T617) Autor(a):
À luz de velas (T718) Autor(a):
À mercê (T2616) Autor(a):
À Minha Vó... (T202) Autor(a):
A outra metade (T2088) Autor(a):
A poesia de cada um (T2914) Autor(a):
A presença de Deus (T1699) Autor(a):
A Princesa (T1766) Autor(a):
A Princesa (T311) Autor(a):
À Procura do Caminho Certo (T25) Autor(a):
A saudade dói (T1747) Autor(a):
A seu lado (T2157) Autor(a):
À sua procura (T2214) Autor(a):
A tal felicidade (T2840) Autor(a):
A Taturana Ana (T238) Autor(a):