ANDRADE JORGE

 -  - ANDRADE JORGE
Total Visualizações: 27418
Texto mais lido:
FAÇA UMA PONTE - Total: 433
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 785
10 Autores mais recentes...
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
VALDINEI DA SILVA CAMPOS
JOSÉ MARIA AMARANTO
MILTON JORGE DA SILVA
CELSO GABRIEL DE TOLEDO E SILVA
MARIA DE SOUZA CEZAR
EVERALDO JOSÉ CAVALHEIRO PAVÃO
JOSE JOÃO BOSCO PEREIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1608705
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 261987
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 136436
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 113256
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 95072
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 62357
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 36026
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 33290
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 32632
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 30268
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 260
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A FÉ COMO ELA NÃO É


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

A FÉ COMO ELA NÃO É

Certa feita, andando meio que a esmo nas ruas do bairro onde morei, cidade de Jundiaí, estava desesperançoso, desempregado, triste, família pra cuidar; Caminhando pela Rua Prudente de Morais (nasci nesta rua) havia um salão onde se reunia uma Igreja, e naquele momento que passava estava acontecendo um culto, eram mais ou menos três da tarde. Resolvi entrar, afinal não tinha nada a perder e estava precisando mesmo de uma palavra de conforto. Na entrada escrito num dos cartazes que ao final do culto todos receberiam uma fita benta, dessas de amarrar no pulso. Sentei-me num dos bancos. O Pregador usava vestes de Padre, o nome da Igreja não me lembro, mas não era a tradicional Católica Apostólica Romana. Mas isso no momento não importava em nada, ouvi atentamente a pregação. Antes de terminar o Pregador falou sobre o dizimo, explicando sobre as despesas que a Igreja tinha para a manutenção do local:
- Quem tem cem reais para ofertar?
Acho que um ou dois levantaram a mão e foram chamados para ficar la na frente;
Quem tem cinquenta? Mais uns três ou quatro levantaram a mão e foram chamados para ficaram la na frente; E assim foi: quem tem trinta, vinte, dez, cinco, nesta altura quase todos estavam la na frente, ali sentados eu e mais um coitado, mas Pregador insistiu: "Quem tem pelo menos um real para ofertar?" Um olhou para a cara do outro e ficamos na mesma, sem contar o constrangimento, porque todos estavam olhando pra nossa cara, como a dizer: “que gente é essa que não tem nem um real no bolso?”. O outro não sei, mas eu não tinha. Então o Pregador mandou que as pessoas fizessem uma fila para receber a tal fita. Claro, entrei na fila, o outro nem quis entrar. Eu era o último, e a fila seguia lentamente. Finalmente chegou minha vez, pensei: "agora vou receber a fita abençoada". estendi a mão, o Pregador olhou bem pra mim e disse:
A fita acabou de acabar!! Quem sabe noutro dia.
Percebi um sorrisinho de escárnio. Pois é, eu não tinha nem um real para receber a fita abençoada..... Sai de la desiludido.
Dois ou três meses depois o salão foi fechado. Ninguém soube para onde a Igreja mudou talvez para um lugar onde não tivesse outro Andrade Jorge tão duro quanto, que não pudesse ofertar pelo menos um real aos amáveis Pregadores.
Não é texto de criação, aconteceu.

29/06/16
Andrade Jorge

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
26/03/2018 10:54:18
Há pessoas com experiências semelhantes amigo. Parabéns
Comentado por: ANTONIO SALESData Cadastro: 26/03/2018 10:54:18

Mais textos de ANDRADE JORGE:
"X" Autor(a):
"X" (poesia reflexão) Autor(a):
A CHUVA Autor(a):
A FÉ COMO ELA NÃO É Autor(a):
A FÉ COMO ELA NÃO É Autor(a):
A MULHER DO BARBEIRO (conto) Autor(a):
A MULHER QUANDO AMA Autor(a):
A PAZ Autor(a):
A TÁBUA (lição de vida) Autor(a):
ACADÊMICO ANDRADE JORGE Autor(a):
ACASO Autor(a):
ACQUA Autor(a):
ACQUA (poesia traduzida para o idioma Italiano) Autor(a):
ADEMILDE Autor(a):
ÁGUAS DE SALTO Autor(a):
AMANHÃ Autor(a):
AMANTES Autor(a):
AMANTES Autor(a):
AMAR Autor(a):
AMIGA Autor(a):
AMIGA Autor(a):
ANGELICAL E DEMONÍACO Autor(a):
ANJOS Autor(a):
APAGÃO Autor(a):
APAGÃO (Cotidiano) Autor(a):
ARDIL Autor(a):
ASNEIRAS & BESTEIRAS (poesia amor) Autor(a):
ATCHIMMMM! (poesia infantil) Autor(a):
ATRIZ Autor(a):
ATRIZ (POESIA REFLEXÃO) Autor(a):