WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA

 -  - WILLIAM PEREIRA
Total Visualizações: 41506
Texto mais lido:
ÍRIS - Total: 1410
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 176
10 Autores mais recentes...
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3344829
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 423136
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 381285
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 341190
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 202997
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 134981
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 125509
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 61629
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 52940
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 52426
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 279
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

ARTHUR MILLER - o mestre indiscutível do drama moderno


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Quando recebeu, em 2002, o prêmio espanhol Príncipe das Astúrias de Letras, uma renomada honraria a escritores que se destacam em todo o mundo, o dramaturgo americano Arthur Miller foi classificado como “o mestre indiscutível do drama moderno”. O título se justifica porque, em pleno período de efervescência do teatro nos EUA, com o fortalecimento da Broadway e do circuito off-Broadway, Miller foi o primeiro grande nome, autor de pelo menos dois grandes clássicos do teatro moderno: “A morte do caixeiro viajante” (1949) e “Panorama visto da ponte” (1955).
Nascido em Nova Iorque, em 17 de outubro de 1915, Arthur Miller era filho de um casal de imigrantes poloneses. O pai conseguiu fortuna como empresário do setor têxtil, mas, na Grande Depressão, de 1929, ficou arruinado, perdendo o patrimônio que havia conquistado. Ainda assim, Arthur Miller conseguiu chegar à Universidade de Michigan, onde se formou em Jornalismo e iniciou a carreira teatral.
O reconhecimento veio a partir de sua quarta peça, “A morte do caixeiro viajante”, tão inovadora ao criticar a sociedade contemporânea, que alcançou uma até então inédita unanimidade – foi vencedora do prêmio Pulitzer, de três prêmios Tony (o Oscar do teatro norte-americano) e do Circuito de Críticos de Arte de Nova Iorque. É, até hoje, seu texto mais encenado, dentre os 22 que escreveu.
Nos anos 1950, Arthur Miller seguiu a carreira como o mais prestigiado autor de seu país (rivalizando apenas com Tenesse Williams), apresentando “As bruxas de Salém”, em 1953, e o também premiado “Panorama visto da ponte”, em 1955, entre outros. No entanto, o escritor passou por grande turbulência na vida pessoal. Durante a Guerra Fria, Miller foi denunciado por seu antigo amigo Elia Kazan como participante de reuniões do Partido Comunista e foi obrigado a depor no Comitê Parlamentar das Atividades Antiamericanas. Chegou a ser condenado à prisão por se negar a revelar os nomes de outras pessoas do circuito literário que faziam parte das reuniões.
Em 1956, após se separar da primeira mulher, Miller casou-se com Marilyn Monroe, o verdadeiro fenômeno do cinema na época. A união durou até 1961. A partir dos anos 60, com “Depois da queda” (1964), Arthur Miller continuou sua bem sucedida atividade como dramaturgo e teve várias obras adaptadas para o cinema. Morreu em 10 de fevereiro de 2005, vítima de insuficiência cardíaca, em Roxybury, Connecticut.


(Parte da coletânea "Gente de Teatro", de William Mendonça. Direitos reservados.)

Visite www.williammendonca.com

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA:
20 DE OUTUBRO: DIA DO POETA Autor(a):
A AREIA FINA Autor(a):
A DOR QUE ME VISITA Autor(a):
A LIRA DOS VINTE ANOS Autor(a):
A MIL POR HORA Autor(a):
A MORAL RASTEJANTE Autor(a):
A PAZ NO OLHAR DE GABRIELA Autor(a):
A POESIA DAS NOITES DE HOJE Autor(a):
A QUEM NÃO AMA Autor(a):
A RENÚNCIA DO PAPA Autor(a):
A ÚLTIMA QUIMERA Autor(a):
A VERDADE RELATIVA Autor(a):
ABSINTO Autor(a):
AGORA Autor(a):
AGRADECIMENTO Autor(a):
ALGUMAS TROVAS IMPERFEITAS Autor(a):
AMANHECER Autor(a):
ANA C. - O brilho interrompido Autor(a):
ANACRÔNICO Autor(a):
ÂNSIA Autor(a):
ANTONIN ARTAUD - O teatro e sua santa loucura Autor(a):
ANUNCIADA Autor(a):
AO TEU SOL EM PEIXES Autor(a):
AONDE VAI O POVO? (Conversa com o Brasil) Autor(a):
AOS ABUTRES Autor(a):
AOS NOSSOS FILHOS Autor(a):
APARTHEID BANCÁRIO Autor(a):
ARGONAUTA Autor(a):
ARTAUD Autor(a):
ARTHUR MILLER - o mestre indiscutível do drama moderno Autor(a):