PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 17275
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 206
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1922
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2392554
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 311566
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 214132
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 117792
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 109991
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 109000
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 86953
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 45457
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 40078
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 39990
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 126
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O SÍTIO DE LUZ


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Naquele sítio na Serra,
havia uma mini- usina de luz.
Daquela casa do sítio,
no alto do morro,
se contavam ao redor sete lagos.
Da varanda eu vi,
porque era verão,
uma revoada de andorinhas,
aves repletas de azul
no final da tarde.
E um dia
caminhando pelo mato,
quase pisei em uma cobra coral
e isso sem conhecer venenos,
sem conhecer arrepios.
Naquele sítio, à noite,
vagalumes eram comuns
faziam parte do lugar
e pareciam brilhar
pela primeira vez no mundo.
O dono de tudo,
passou ali uma vez.
Chegou com sua perua Kombi
e perguntou:
- Está tudo bem?
Depois foi embora
garantindo a energia.
Naquele sítio,
da cidade na Serra.
Havia um lago maior
e uma ponte.
Dali eu pescava sardinhas.
Pesquei tanto no último dia,
que me surgiu um grande peixe.
O peixe crescera porque havia uma usina
e assim ele não poderia morrer,
- embora ainda houvesse iscas e minhocas-
peixe vaga-lume saído de uma fonte de luz.
A natureza era minha amiga,
e também o céu noturno,
as Três Marias
o Cruzeiro do sul,
e a estrela intrusa.


DO LIVRO: ADVERSOS E OUTROS MOMENTOS

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORÇA DO CIÚME Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A INVENÇÃO DO FUTEBOL Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMO A VIDA COMO WALT WHITMAN Autor(a):
AMOR ATO VINTE Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZENOVE Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
AMOR ATO VINTE E UM Autor(a):