CHARLES SILVA

 -  - CHARLES SILVA
Total Visualizações: 883
Texto mais lido:
O zoinho daquela mulé - (Moda de viola sertaneja) - Total: 101
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 91
10 Autores mais recentes...
HAMILTON RAUL SERPA
JUAREZ VELÁSQUEZ DE MELLO CARVALHO
ARIEL ALVES DA SILVA
LUIZ HENRIQUE GOMES PATRIOTA
MARA ROSANI CRIZEL
THAYS GARCIA RODRIGUES
THALYA SANTOS
RENON DA SILVA BRITO
MAROEL DA SILVA BISPO
LUCAS MENEZES
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 648039
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 114577
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 104809
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 41830
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 28938
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 18145
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 14336
247 VANESSA  SOARES
VANESSA SOARES
Total: 13740
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 13452
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 12843
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 101
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O zoinho daquela mulé - (Moda de viola sertaneja)

O zoinho daquela mulé - (Moda de viola sertaneja)

Apois seu dotô, eu vou lhe contar uma aflição
Fui pra cidade ôto dia, fui comprá ração
No armazem, dei de cara com uma luz, um clarão
Quase que eu ceguei de tanta ofuscação
Era dois zoinho tão brilhante, que acendeu meu coração
Mas uma moça tão linda, era atendente no balcão

Adepois de nois dois numa longa prosa, ela pegou na minha mão
Seu Dotô, quase que eu me mijo de tanta emoção
Ela me chamou hoje prum armoço de família, numa grande reunião
Nois dois vamos é namorá, e já pretendo casá, adepois do são joão

Sô vaquero destemido e quem me afronta num fica em pé
Sô domadô de cavalo brabo, derrubo até boi no braço
Mas até o dia de ontem, eu nunca tinha ganhado um cafuné

Vô é mimbora pra cidade, eu vô vê é a claridade
do zoinho daquela mulé

Charles Silva
 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de CHARLES SILVA:
A poesia e a linguagem Autor(a):
Anik e Tarik Autor(a):
Confuso ? Autor(a):
Conversa idiota Autor(a):
Da cumplicidade Autor(a):
Divergentes Autor(a):
Do Brasil e do Mundo Autor(a):
Entrevista com a morte Autor(a):
Marina Autor(a):
O bem e o mal Autor(a):
O Buraco Autor(a):
O Dom de Ver Autor(a):
O Pensar Autor(a):
O super Salto Quântico Autor(a):
O zoinho daquela mulé - (Moda de viola sertaneja) Autor(a):
Posso escrever? Autor(a):
Recifes e pontes Autor(a):
Ser do bem, ou ser do mal. - Eis a questão. Autor(a):
Sobras do Brasil Autor(a):
Sobre universos paralelos Autor(a):
Sobre universos paralelos Autor(a):
Solidão Autor(a):
Ventos do deserto Autor(a):

Parceria:

Academia Gonçalense de Letras, Artes e Ciências.