WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA

 -  - WILLIAM PEREIRA
Total Visualizações: 41509
Texto mais lido:
ÍRIS - Total: 1410
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 176
10 Autores mais recentes...
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3344849
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 423137
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 381285
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 341192
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 203001
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 134981
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 125510
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 61629
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 52940
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 52427
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 290
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A POESIA DAS NOITES DE HOJE


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

O sono já não quebra meu olhar métrico,
pleno de versos vagos e distantes ...
Porém, enquanto exponho minhas vidas
que já tive, no papel, o mundo gira.

Sei que o tempo compõe linhas perdidas
mas segue sempre a mesma rota inviável,
que não permite a volta - nem aos poetas,
que deixam no passado os sentimentos.

A poesia das noites de hoje é outra,
os limites são tênues como sonhos
que nunca poderemos realizar.

E se a amada partisse, aonde o poeta?
E se o canto cessasse, aonde o verso?
E se o livro acabasse, aonde o grito?


(Parte do livro "Alguns sonetos que fiz por aí ...", de William Mendonça, disponível para download gratuito em www.williammendonca.com. Direitos reservados.)

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA:
20 DE OUTUBRO: DIA DO POETA Autor(a):
A AREIA FINA Autor(a):
A DOR QUE ME VISITA Autor(a):
A LIRA DOS VINTE ANOS Autor(a):
A MIL POR HORA Autor(a):
A MORAL RASTEJANTE Autor(a):
A PAZ NO OLHAR DE GABRIELA Autor(a):
A POESIA DAS NOITES DE HOJE Autor(a):
A QUEM NÃO AMA Autor(a):
A RENÚNCIA DO PAPA Autor(a):
A ÚLTIMA QUIMERA Autor(a):
A VERDADE RELATIVA Autor(a):
ABSINTO Autor(a):
AGORA Autor(a):
AGRADECIMENTO Autor(a):
ALGUMAS TROVAS IMPERFEITAS Autor(a):
AMANHECER Autor(a):
ANA C. - O brilho interrompido Autor(a):
ANACRÔNICO Autor(a):
ÂNSIA Autor(a):
ANTONIN ARTAUD - O teatro e sua santa loucura Autor(a):
ANUNCIADA Autor(a):
AO TEU SOL EM PEIXES Autor(a):
AONDE VAI O POVO? (Conversa com o Brasil) Autor(a):
AOS ABUTRES Autor(a):
AOS NOSSOS FILHOS Autor(a):
APARTHEID BANCÁRIO Autor(a):
ARGONAUTA Autor(a):
ARTAUD Autor(a):
ARTHUR MILLER - o mestre indiscutível do drama moderno Autor(a):