WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA

 -  - WILLIAM PEREIRA
Total Visualizações: 94630
Texto mais lido:
ÍRIS - Total: 2810
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 176
10 Autores mais recentes...
ANA PAULA DE JESUS OLIVEIRA
MICHELE LIMA CAVALCANTE
ROSA SANTOS DA SILVA
SHIRLEY A. MORAIS
IVONETE MELO DE CARVALHO
PRISCILA MIDORI
SIMONE BIANCHI ZAAR
PROF VANESSA VIEIRA
MARCIA MARIA COUTO COSTA EL CORAB
GERALDA JÚNIA LEMOS PEREIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 6388721
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 1257313
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 965483
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 832456
622 SANTO VANDINHO
SANTO VANDINHO
Total: 495093
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 243802
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 151916
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 129255
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 122259
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 107990
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 561
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
 
 

A MIL POR HORA

Quis justificar minha geração
justificar essa geração a mil por hora
que me permitiu
Capricórnio ascendente Aquário
terra e ar
que abrigam os pássaros,
justificar esse algo feito asas
que se apelida Poesia
e que me liberta,
justificar os golpes e contragolpes
que estão em nossa pele
até mais que em nossa memória,
justificar meu filho que ainda não veio,
a mulher que amo
e a falta de aliança no dedo,
justificar as olheiras na manhã de segunda,
o desgosto e a luta,
nem esquerda, nem direita, nem centro,
muita acima destes imbecis
do DETRAN ideológico,
justificar o 10º andar,
o suicídio,
a barraca e o camping,
o violão e o microfone,
o palco e a solidão a dois,
justificar a criança que já não vejo
no espelho
mas que sempre escapa ao meu controle,
justificar o direito de sonhar
e a vontade de fazer,
a força do silêncio
que às vezes diz muito mais aos olhos.
Quis justificar qualquer passo
que valha o risco
e o abismo,
qualquer beijo que não traia,
qualquer temporal que não seja dilúvio,
o vento de outono
e cada folha que cai...

Mas a gente nem conhece as pessoas,
esses faróis que rompem a neblina
e dissipam a obscuridade,
que jogam a água das poças
nas calçadas da cidade,
a gente nem conhece a vida,
esse ponto vazio chamado destino,
a gente,
mal e mal,
conhece as curvas da estrada
e ainda assim
derrapa...


(Parte integrante da peça "Sobre o vôo", de William Mendonça. Direitos reservados. Visite www.williammendonca.com)

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA:
20 DE OUTUBRO: DIA DO POETA Autor(a):
A AREIA FINA Autor(a):
A DOR QUE ME VISITA Autor(a):
A LIRA DOS VINTE ANOS Autor(a):
A MIL POR HORA Autor(a):
A MORAL RASTEJANTE Autor(a):
A PAZ NO OLHAR DE GABRIELA Autor(a):
A POESIA DAS NOITES DE HOJE Autor(a):
A QUEM NÃO AMA Autor(a):
A RENÚNCIA DO PAPA Autor(a):
A ÚLTIMA QUIMERA Autor(a):
A VERDADE RELATIVA Autor(a):
ABSINTO Autor(a):
AGORA Autor(a):
AGRADECIMENTO Autor(a):
ALGUMAS TROVAS IMPERFEITAS Autor(a):
AMANHECER Autor(a):
ANA C. - O brilho interrompido Autor(a):
ANACRÔNICO Autor(a):
ÂNSIA Autor(a):
ANTONIN ARTAUD - O teatro e sua santa loucura Autor(a):
ANUNCIADA Autor(a):
AO TEU SOL EM PEIXES Autor(a):
AONDE VAI O POVO? (Conversa com o Brasil) Autor(a):
AOS ABUTRES Autor(a):
AOS NOSSOS FILHOS Autor(a):
APARTHEID BANCÁRIO Autor(a):
ARGONAUTA Autor(a):
ARTAUD Autor(a):
ARTHUR MILLER - o mestre indiscutível do drama moderno Autor(a):