PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 15961
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 189
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1797
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2217840
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 301885
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 197219
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 116781
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 107022
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 95902
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 69189
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 43588
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 38727
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 38522
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 21
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

EXPOSIÇÕES


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Os mortos têm alguma dignidade
porque não falam.
Não fale,
não elogie, não critique, não exponha,
não avise.
Se te perguntarem algo,
responda porque você está vivo.
Se estiver entre amigos sinceros
algum discurso é permitido,
pois aqui o excesso é desculpável.
Fora esses dois momentos,
mantenha-se calado.
Não fale,
muitos falantes morreram com essa cruz:
falar do que imaginam.
Outros amarrados em fogueiras,
morreram de boca aberta
ainda tentando se expor.
Não fale,
principalmente a estupidez
da proposta amorosa.
Estúpida, mas esperançosa
e aqui a esperança exige apenas
mudez e silêncio íntimo.
Não fale sobre o seu passado,
muito menos do presente
e do improvável futuro.
Esta ânsia de fato não interessa,
sobre você poderá cair
o ridículo da hora errada
do boato seguinte
ou pior ainda da falsa reputação.
Fique quieto, escute, sorria.
Seja visivelmente tímido
e se quiser optar por algo burlesco,
cante ou escreva.

Do livro: As sondas amam

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORÇA DO CIÚME Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A INVENÇÃO DO FUTEBOL Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMO A VIDA COMO WALT WHITMAN Autor(a):
AMOR ATO VINTE Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZENOVE Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
AMOR ATO VINTE E UM Autor(a):