PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 14618
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 175
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1662
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2031306
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 289152
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 176787
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 115701
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 104054
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 84155
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 53617
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 41714
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 37050
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 37015
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 122
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

ATRÁS DO SOBRADO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Atrás do sobrado onde vivia,
o menino via a mansão,
uma casa de pedras beges
muito, muito antiga.
O menino ainda não conhecia o antigo.
Atrás do sobrado,
no terreno da mansão,
o menino também via um tanque de concreto vazio.
Era a piscina sem o azul dos nadadores.
O menino não conhecia piscinas.
Atrás do muro,
entre o sobrado e a mansão,
o menino via grandes bananeiras
de folhagem verde cortada e quebradiça
que aceitavam o vento.
O menino não conhecia bananeiras,
pois bananas surgiam da feira de sábado.
Atrás do sobrado
na mansão,
o menino nunca viu ninguém ali,
não imaginava a cara dos donos,
O menino não conhecia esconderijos em 1969.

Hoje atrás do sobrado ainda intacto,
onde morava o menino,
construíram um prédio de apartamentos,
um edifício muito, muito alto
e o menino já aguarda a velhice,
as piscinas disputam um azul de muitas raias.
compram-se bananas em grandes mercados,
e o menino nem procura os moradores,
donos das varandas.
Todos conhecem seus esconderijos.

É a questão da segurança do patrimônio.

Os donos talvez sejam novas bananeiras,
verdes, cortadas, quebradiças,
ainda cultivadas em 2019.

Do meu livro:"A criança, substantivo sobrecomum"

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORÇA DO CIÚME Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A INVENÇÃO DO FUTEBOL Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMO A VIDA COMO WALT WHITMAN Autor(a):
AMOR ATO VINTE Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZENOVE Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
AMOR VULGAR Autor(a):