ZILDO GALLO

 -  - ZILDO GALLO
Total Visualizações: 41940
Texto mais lido:
Haicais Lusitanos (4) - Total: 573
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1093
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2052751
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 290591
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 179775
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 115870
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 104497
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 85395
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 55166
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 41940
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 37280
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 37233
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 322
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A conversão de São Francisco: uma loucura divina


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

São Francisco de Assis (1182-1226) é uma figura singular na história da humanidade. Ele era filho do comerciante italiano Pietro di Bernadone dei Moriconi e de Pica Bourlemont, de origem francesa. Os seus pais faziam parte da burguesia da cidade de Assis e eram tidos como ricos. O menino Francisco cresceu e se tornou um jovem muito popular entre os amigos pelas suas extravagâncias, pela paixão por aventuras, pelas roupas finas, pelo gosto pelas bebidas e por sua liberalidade com o dinheiro. Contudo, ele sempre se mostrava bondoso. Também era fascinado pelas histórias de cavalaria e desejava ganhar fama como herói. Assim, no ano de 1202, alistou-se como soldado na guerra que Assis travava contra Peruggia, quando foi capturado e permaneceu preso por cerca de um ano.

Quando libertado caiu doente, com episódios de febre que duraram quase todo o ano de 1204. Ali apareceram as afecções que o acompanhariam por toda a sua vida: problemas de visão e digestivos Em 1205, depois de recuperado, tentou novamente a carreira militar, engajando-se no exército papal que lutava contra Frederico II. Entretanto, desistiu da empreitada por conta de um sonho que o mandava de volta para casa. Assim o fez. Depois disso, em Assis, durante uma algazarra com seus amigos, teria sido tocado pela presença divina, e desde aquele momento, começou a perder o interesse por seus antigos hábitos e passou a mostrar preocupação pelos pobres e a manifestar desejo por uma vida religiosa.

Antes de adotar a via religiosa para a sua vida, Francisco viverá episódios ligados à fé e aos pobres e necessitados, mas o episódio da sua conversão definitiva é ímpar. Vale a pena relatá-lo. Certa feita ele entrou para orar na igreja de São Damião e ali ele teria ouvido a voz de Cristo, que lhe chamou a atenção para o estado de ruína da igreja e pediu-lhe para que ele a restaurasse. Então, ele voltou para sua casa, pegou diversos tecidos caros da loja do pai e os vendeu a baixos preços no mercado. Em seguida, voltou para a igreja e doou todo o dinheiro ao padre, para que ele reformasse o prédio.

Quando soube disso o pai ficou enfurecido e mandou que o buscassem. Assustado, Francisco escondeu-se em um celeiro, onde um amigo levava comida todos os dias. Passado algum tempo, ele decidiu revelar-se e, diante do povo de Assis, numa confissão pública, autoacusou-se de preguiçoso e desocupado. As pessoas acharam que ele tinha enlouquecido e divertiam-se com isso. O pai ouviu o tumulto e o levou para casa, acorrentando-o no porão.

Alguns dias depois, por compaixão, sua mãe livrou-o das correntes, e Francisco foi buscar refúgio junto ao bispo. O pai partiu atrás dele e o acusou de gastar sua fortuna, reclamando uma compensação pelo que ele havia tirado sem licença de sua loja. Então, para a surpresa geral, Francisco despiu todas as suas belas roupas e as colocou aos pés do pai, renunciando, com esse ato, a sua herança. Depois pediu a bênção do bispo e partiu, completamente nu, para iniciar uma vida de pobreza ao lado do povo. Nunca mais retornou a sua casa. O bispo viu nesse gesto um sinal de Deus e se tornou seu protetor pelo resto da vida. Assim começou a trajetória de São Francisco de Assis.

Como há muito tempo estou ligado às questões ambientais e desde muito cedo adotei uma militância política de esquerda, por conta de uma preocupação permanente com a concentração das riquezas no mundo, São Francisco de Assis tornou-se uma referência para mim, mesmo na época (já distante) em que me considerava essencialmente materialista. Até estudei a sua biografia. Coisas do passado... Então, certa feita, em março de 2002, eu resolvi homenageá-lo com um poema, relembrando aquele momento insólito da sua conversão. Eis o poema:

À NUDEZ DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

Quando Francisco,
Em ato de tresloucada paixão,
Livrou-se das amarras
Que ao passado lhe prendiam,
Livrou-se, também,
De histórias de duvidosa honra,
Histórias largadas ao chão,
Junto com suas vestes,
Misturadas ao pó da estrada.

E, na sua absoluta pobreza,
Tornou-se o mais rico dos homens,
Possuidor de grande tesouro
Que com todos repartia:
O amor pelas criaturas
E a compaixão pelos que sofrem.

E, desde então,
A delicada bondade
Tornou-se imbatível força
E atirar sementes aos pássaros
Um ato que nos religa
Ao espírito da criação.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de ZILDO GALLO:
(RE)(IN)VOLUÇÃO: grandes almas Autor(a):
A árvore de beija-flores, o sabiá distraído, o gavião certeiro e o gambá do meu condomínio Autor(a):
A conversão de São Francisco: uma loucura divina Autor(a):
A empresa do futuro e a produção de valores sustentáveis: ou vai ou racha! Autor(a):
A FOME E O PAPEL Autor(a):
A guerra pela água: Grande São Paulo versus Região de Campinas (2015) Autor(a):
A HORA DA AVE MARIA Autor(a):
A HUMANIDADE ASSOMBRADA Autor(a):
A INCRÍVEL SAGA DO PEIXE BOTINA Autor(a):
A LUA E O MAR Autor(a):
A mamadeira de manga e o coquinho da macaúba Autor(a):
A MENINA QUE PASSAVA Autor(a):
A moralidade do mercado ou para quem o crime compensa Autor(a):
A origem mítica do nome da cidade de Atenas (Grécia): um tributo à agricultura Autor(a):
A OUTRA GUERRA Autor(a):
A POESIA (o poeta e sua sina) Autor(a):
A POESIA (o poeta e sua sina) Autor(a):
A PROCURA DO POETA Autor(a):
A riqueza e a diversidade: uma discussão sobre o valor das floresta na economia de mercado Autor(a):
A sonda New Horizons, o rebaixamento de Plutão, o rapto de Perséfone e o Tarô Mitológico Autor(a):
AFETOS ABORTADOS Autor(a):
AFIRMAÇÃO (Smithiana mão invisível) Autor(a):
ÁGUA PARA TODOS Autor(a):
ÁGUA: UM POEMA À CONSCIÊNCIA Autor(a):
ÁGUAS DE OUTUBRO (via crucis) Autor(a):
ALÉM DAS SOMBRAS DA CAVERNA Autor(a):
ANÉIS DE SATURNO Autor(a):
ANTAGONISMOS Autor(a):
AO MINEIRINHO POETA Autor(a):
ÁRVORE SECA Autor(a):


Banner aniversariantes

Aniversário Hoje

Aniversariante de Hoje HELIO RUIZ CASTILHO