Total Visualizações: 8700
Texto mais lido:
A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) - Total: 598

Amigos Recentes

622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO1121 THALYA SANTOS587 RODRIGO GIOVANI BORCHARDT477 ADEMYR BORTOT613 SEDNAN MOURA440 ARMANDO MUNIZ POETA444 DRILLY MANFRE3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 202 Todos os textos de: EACOELHO
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

CATACLISMA


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Enquanto os dias passam,
Enquanto o nosso mundo vai girando,
Nós terráqueos vamos vivendo a nosso modo,
Cada um do seu jeito, sua forma, seu prazer.

Enquanto os dias correm harmonicamente,
O mundo gira com leveza que nem percebemos,
Vamos vivendo ao prazer da individualidade,
Nessa besta desarmonia com o mundo.

E assim vamos rompendo as regras,
Renegando a lógica da mãe natureza,
Vamos criando talhos no coração da parideira,
Que sangra, que grita, que se debate e chora.

Das sangrias desse coração judiado,
De mãe solteira que nos acolhe e tudo nós dá,
Vêm os gritos do desconsolo que nem ouvimos,
Que ignoramos, teimando o mesmo desamor.

E assim a natureza sofrida se debate,
Sacudindo o mundo em revolta justificada,
Que assistimos pasmos, assumindo meia culpa,
Mas balançamos os braços nessa triste desarmonia.

Do choro calado no silêncio do caminhar do tempo,
Ou gritados aos cantos do mundo em revolta de dor,
Fazemos promessas de zelar pelo colo que nos oferece,
E nos perdemos em palavras que nunca formam versos.

Que não maldigamos a fúria dos ventos,
Que não lamentemos as chuvas desmedidas,
Nem a aridez da sua falta então sentida,
Pois são apenas rompantes de mãe solteira,
Na convulsão das dores que lhe causamos.

EACOELHO

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 206
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
1 A ARTILHARIA DA DIREITA (5 anos de artilharia) 598 03/04/2018
1 CASULO 267 28/12/2011
1 DESIGUAIS 242 26/12/2011
1 NATAL - DOS CORRUPTOS 192 23/12/2011
1 SEM SENTIDO 180 22/12/2011
1 PARA SEMPRE 192 22/12/2011
1 VEM DE TI 175 28/07/2010
1 AVISO AOS HIPÓCRITAS 221 25/07/2010
1 SEJA FELIZ 211 24/07/2010
1 CÉU DA TUA BOCA 245 20/07/2010
1 CORAÇÃO DE POETA 222 20/07/2010
0 MERCADOR DE ILUSÕES 150 09/07/2010
0 CONCLUSÕES 228 09/07/2010
0 A MULHER QUE EU AMO 225 09/07/2010
0 SEM QUERER 161 04/07/2010
0 SEDUÇÃO 150 04/07/2010
0 O QUE FAÇO AGORA 146 02/07/2010
0 RECORDAR É VIVER 132 01/07/2010
0 PERNAS CRUZADAS 142 30/06/2010
0 COPA DO MUNDO - INDUSTRIA DE EMOÇÕES 225 30/06/2010
0 LADRAO DE ESTRELAS 160 30/06/2010
0 ESTRELA CADENTE 185 30/06/2010
0 DIA SEGUINTE 208 30/06/2010
0 CONTROVÉRSIA 209 30/06/2010
0 CATACLISMA 206 30/06/2010
0 APENAS 208 30/06/2010
0 A MULHER DA MINHA ALDEIA 197 30/06/2010
0 A REDE DO MEDO 232 18/06/2010
0 CAIPIRA 230 18/06/2010
0 CONVERSA DE HOMEM 208 16/06/2010