Total Visualizações: 6989
Texto mais lido:
DELÍRIO DE PEIXE - Total: 101

Amigos Recentes

492 MARIA HILDA DE J. ALÃO1121 THALYA SANTOS622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL1 CLÁUDIO JOAQUIM DOS SANTOS BRAGA2 ANA PAULA SANTOS74 ANA CLAUDIA SANTOS DE LIMA BRAGA
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 324 Todos os textos de: PAULO FONTENELLE DE ARAUJO
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

É CÂNCER, PORÉM


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Aqui se morre de câncer,
até as velinhas de aniversários caem
com o cancro do pavio.
mas, se repararmos,
nem tudo é furo e tumor.
Ostras não têm câncer;
labirintos perderam o inchaço
e cristais de gelo formam o hexagonal
não o furúnculo.
E se reparamos melhor:
zigotos estão além dos abscessos
assim como a língua dos tamanduás,
não perdem tempo
para os carcinomas,
(eles não se espalham pelo mundo como formigas).
E os ciclopes, principalmente eles,
- vivos em histórias infantis -
perderam um olho,
mas não viram qualquer ulceração
na retina que sobrou.
As crianças riem.

Aqui se morre de câncer,
mas nem tudo é furo e tumor.
Uma bola de gude
que antes de um caroço se chama também
pirosca, bugalho, boleba, bolega e carolo,
bate no calombo
e dali não sai sequer um eco.
O tumor não brinca,
nem chega ao círculo do jogo.
Para que se preocupar?

Aqui se morre de câncer,
mas há tantas variantes para o consolo, amigo.
O doente mesmo pode comer antes
abóboras
frutos das aboboeiras.
São quase edemas,
mas se mantém no limite do bago.

Do livro:" A criança, substantivo sobrecomum"
phcfontenelle@gmail.com

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 42
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 PRAGA, LADO NORTE 56 25/11/2018
0 O MENDIGO FRITZ 54 20/11/2018
0 CONTATOS URBANOS 60 17/11/2018
0 O BANDEIRANTE 51 16/11/2018
0 NOVA CHANCE 42 16/11/2018
0 AMOR ATO TRÊS 62 15/11/2018
0 A MÁQUINA DO TEMPO 63 13/11/2018
0 PICHAÇÕES EM SÃO PAULO 47 11/11/2018
0 ATRÁS DO SOBRADO 65 07/11/2018
0 O CULTIVO 48 05/11/2018
0 OS SUBMERSOS 34 05/11/2018
0 PRAGA 51 01/11/2018
0 EM CIMA DO MURO 40 01/11/2018
0 AS CRIANÇAS DO GENERAL MÉDICI 49 28/10/2018
0 A TEVÊ LIGADA 59 25/10/2018
0 RAÍZES HUMANAS 69 20/10/2018
0 DELÍRIO DE PEIXE 101 15/10/2018
0 A CIDADE POSSÍVEL 92 13/10/2018
0 EM 1970 NO BRASIL 83 08/10/2018
0 MUNDO DIGITAL 60 06/10/2018
0 A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO 69 05/10/2018
0 NO MEIO DA CHUVA 58 02/10/2018
0 MONTANHAS CARIOCAS 82 01/10/2018
0 OS VOADORES 64 30/09/2018
0 A LISTA 71 30/09/2018
0 ULTIMAS 58 28/09/2018
0 LADEIRA DA MEMÓRIA 60 27/09/2018
0 SAUDADE ATO QUATRO 47 26/09/2018
0 OS IDOSOS SÃO LIVRES 53 24/09/2018
0 OS DEZENOVE DO FORTE DE COPACABANA 39 24/09/2018