Amigos Recentes

622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO548 CLAUDIANNE DIAZ630 PEDRO PAULO DA SILVA MEDEIROS613 SEDNAN MOURA
Mais amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 749

Clique aqui para Visitar a Sua Página Literária

Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O que eu tenho para te dar é o meu amor

Muitas vezes, infelizmente, existem mulheres que não buscam o amor, o verdadeiro amor, aquele que proporciona a alegria, o carinho, a atenção, a compreensão, a satisfação da companhia do outro, o prazer do toque, da relação carnal.
Este gênero de mulher deseja apenas e tão somente o prazer proporcionado pelo dinheiro e o poder que dele emana. O poder da liberdade de fazer: como, onde e quando se deseja fazer alguma coisa ou algo.
Um gênero feminino que despreza os sentimentos de um homem que realmente ama, que pode fazê-la feliz sem, no entanto, dar-lhe tudo aquilo que o dinheiro pode proporcionar. Infelizmente, este tipo de mulher existe e a poesia a seguir retrata esse tipo de personalidade.

O que eu tenho para te dar é o meu amor

Sou pobre homem, nascido do barro, que não tem riqueza
Apenas o corpo fatigado e meu coração por realeza
Parte de mim que por ti se apaixonou
Entregando-me ao teu bel prazer que se asseverou
Por dentro de meu cerne, recanto meu
Teu olhar invadiu-me, fazendo-me teu Romeu
Escravo de ti me tornei, a satisfazer teus caprichos
Vontades desmedidas, vertidas de teus nichos
Fui até o céu, arrastando-me de joelhos
Eu queria ter filhos contigo, como os coelhos
Mas negaste a desejada e bela gravidez
Tudo devido a teu sentimento de avidez
Pela beleza, ganância e poder
Estados frios e delirantes que nada há de soerguer
Revelei meus medos, dores e desconcertos
E você desdenhou, cuspiu, dizendo não ter desacertos
Ao nascer a feiura de mim chegou perto
Negando-me a beleza de certo
Não sei o que viste em mim, homem coitado
Apenas cheio de amor, que tu devoraste, deixando-me humilhado
Tiveste meu coração aberto
A almejada felicidade muito de perto
Mas renegaste minha grande riqueza
O meu ilimitado amor, levando-me à pobreza
Nada mais tenho a oferecer apenas o que me restou
Nem emoção e nem fervor, aquilo que você não espoliou
E era apenas amor o que eu tinha para te dar...

Robert Thomaz


Clique aqui para Visitar a Sua Página Literária



O que eu tenho para te dar é o meu amor
A razão do teu viver!
A luz dos teus olhos se acenderá por mim
A loja de vidas
A jovem guerreira
Amantes da poesia
Não sou a garota dos seus sonhos
Winchester é meu nome...
A mais bela dobra da Criação
Viagem, vida, viagem da vida
  • Basta preencher um formulário e criar 3 jogos!
 

 

Jogos de Memória

Funciona somente no computador.
  • Disponibilize materiais para downloads para seus alunos e professores.