Total Visualizações: 473
Texto mais lido:
UM TEOREMA DE PITÁGORAS - Total: 38

Amigos Recentes

1121 THALYA SANTOS622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL1 CLÁUDIO JOAQUIM DOS SANTOS BRAGA2 ANA PAULA SANTOS74 ANA CLAUDIA SANTOS DE LIMA BRAGA
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 324 Todos os textos de: PAULO FONTENELLE DE ARAUJO
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O CEGO DO VALONGO (13 DE MAIO)

O cego do Valongo
segue o rastro no piso azul
para entrar no metrô.
Não impeça a passagem.
O cego sem cão guia,
porque se libertou do cão,
segue com a bengala as marcas azuis da trilha.
Ele quer entrar no metrô e seguir.
O cego já esteve no século XIX,
no Cais do Valongo, na cidade do Rio
chegando nu da África;
já virou e revirou correntes,
mas hoje, contudo, desceu do ônibus,
negro, magro, de calças jeans, camiseta, bengala,
e quis seguir o azul do pavimento.
Não evite seu rumo,
porque o cego sabe onde está.
Ele consegue ser alegórico.
antes de entrar no vagão
e diz para os atônitos da plataforma:
“No mundo dos cegos,
o homem é um meio centauro
e os cavalos são a criação final.
Lindos!”


DO LIVRO: ADVERSOS E OUTROS MOMENTOS
 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 5
[ 27 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 O CEGO DO VALONGO (13 DE MAIO) 5 14/08/2018
0 O HOMEM DE NEANDERTAL 9 12/08/2018
0 TRIÂNGULOS ATIVOS 11 11/08/2018
0 OS GORDOS 14 10/08/2018
0 TREZENTOS PAIS 11 10/08/2018
0 ATERRISSAGENS 12 09/08/2018
0 CERTAS ÓRFÃS 21 06/08/2018
0 TERNO E GRAVATA 11 06/08/2018
0 A SONDA AMERICANA VOYAGER I 11 06/08/2018
0 AMOR AOS DOZE ANOS 11 06/08/2018
0 AVENIDA DE TOLERÂNCIA 12 06/08/2018
0 A PRIMAVERA DAS FADAS 10 06/08/2018
0 SAUDADE ATO ONZE 12 05/08/2018
0 O AMOR PELO NÃO SENTIDO 15 05/08/2018
0 PRIMEIRA NUDEZ 15 04/08/2018
0 SAUDADE AT0 SEIS 13 30/07/2018
0 UM RIO DE AMOR 22 23/07/2018
1 FILOSOFIA DA VIRADA 21 12/07/2018
0 ANÚNCIOS BRANCOS 16 09/07/2018
0 UM TEOREMA DE PITÁGORAS 38 25/06/2018
0 COMPARAÇÃO MODERNA 28 20/06/2018
0 O PALHAÇO 28 19/06/2018
0 NO FUTURO 22 19/06/2018
0 AQUI SE MORRE DE CÂNCER 23 19/06/2018
0 UM OUTRO CONDUTOR 31 19/06/2018
0 BRAÇOS MECÂNICOS 27 19/06/2018
0 O ÚLTIMO FOGUETE 24 19/06/2018

Parceria:

Academia Gonçalense de Letras, Artes e Ciências.